Ética cristã em tempos de fake news e negacionismo

“Então conhecerão a verdade, e a verdade os libertará”. (João 8:32)

Muitos cristão estão comprando não a ideia desse versículo em si, mas a aplicação política feita dele. O uso da Bíblia, cooptada de forma profana e suja por um discurso político, tem sido abraçado por vários cristãos por aí. Embora isso não seja nenhuma novidade na história, nosso recorte será o contexto atual. 

Entendam: a palavra de Deus é a palavra de Deus até saindo da boca do diabo, porém a aplicação pode ser totalmente distorcida. Cuidado! 

Irônico nisso tudo é que, em nome de uma suposta verdade libertadora, vale tudo. Vale distorcer textos, tirar texto do contexto, editar vídeos para adulterar o sentido do que foi falado, espalhar mentiras, utilizar boots para subir hastags ou espalhar fake news, destruir reputações, negar a ciência, demonizar a impressa e seus profissionais... vale tudo! 

Muitos cristãos estão repassando notícias e informações sem a menor avaliação, sem nenhum compromisso em checar a veracidade delas. O critério para postar ou compartilhar algo é meramente corroborar com a própria opinião. Para que determinada narrativa seja mantida, todo sacrifício é válido, ainda que seja a morte da própria verdade. 

Nós, cristãos, acreditamos que toda verdade é a Verdade de Deus. Em todos os campos da existência, em todas as instâncias da vida, seja na ciência, nas artes, na igreja ou na política, toda verdade aponta para o Criador e para a ordem da criação. 

Quando um cristão repassa deliberadamente fake news, ele está afrontando o Deus da verdade ao escolher a mentira e a falsidade. Em última instância, ele abriu mão da narrativa bíblica para sustentar uma narrativa ideológica. 

A ética cristã tem que nos mover incansavelmente na busca pela verdade, seja no campo teológico, científico ou jornalístico, por exemplo.

Não se reduza a mero repassador de notícias, a um leitor de manchetes. Não seja aquela pessoa que sustenta um argumento apenas com a frase “eu vi que postaram”. Seja criterioso, analise, estude, leia o máximo que puder, procure se aprofundar nas coisas que deseja entender e não caia no negacionismo. Embora uma dose de desconfiança seja sempre bem-vinda, não vá para o extremo de acreditar que toda a ciência e impressa sejam mentirosas.

Nós, cristãos, entendemos que a autoridade de Deus se estende por todas as esferas da vida – ciência e imprensa se incluem nisso. Cada uma dessas áreas foram criadas com leis internas que derivam e apontam para o próprio Criador. 

Quando o cristão nega a possibilidade da verdade nessas áreas, ele está dizendo que elas não estão sob a soberania de Deus, que não derivam Dele e não são para a Glória Dele. O negacionista reduz o alcance da verdade de Deus e, consequentemente, a própria glória do Criador. 

Se você acredita que toda a verdade é a Verdade de Deus, então quebre a corrente de fake news e não se deixe levar por negacionismos infundados. Não se venda por um prato de lentilhas. A sua história faz parte da grandiosa, eterna e perfeita história de Deus e não de uma mera narrativa política miseravelmente falha e temporal. Seja ético, seja cristão!

Para finalizar, vejamos o versículo usado no início com um pouco mais de contexto (João 8:31 e 32):

“Jesus disse aos judeus que creram nele: Vocês são verdadeiramente meus discípulos se permanecerem fiéis a meus ensinamentos. Então conhecerão a verdade, e a verdade os libertará”.

É preciso permanecer fiel aos ensinamentos de Jesus para ser um discípulo de verdade. Só assim iremos conhecer a verdade e ser libertos por ela. Parem de secularizar a Bíblia em prol de interesses pessoais!